19 de fev de 2018

Pilula Vermelha - Blaise Pascal - Part I

Probabilidades??!!!


Estava eu há pouco tempo atrás, bom na verdade ainda estou, estudando algo sobre probabilidades matemáticas, e encontrei um dos mais, se não o mais importante matemático que começou a escrever sobre o tema. Blaise Pascal

Antes dele, o campo probabilidade da matemática, nunca havia sido levado a sério pelos matemáticos da época, pois segundo a crença da época, o destino era escrito por Deus e não havia nada que pudêssemos fazer a respeito. 

Os matemáticos e filósofos antes dele, se concentravam em áreas mais "nobres", como geometria, trigonometria, etc. 

No entanto, o ramo da probabilidade não passou despercebido pelos homens da época e antes do tempo de Pascal, tendo Cardano como o primeiro a fazer "registros" sobre o tema. Cardano era médico e matemático, mas sobreviveu e fez fortuna através de seu conhecimento sobre os jogos de azar. 

Cardano foi o primeiro homem que se tem registro, a criar a teoria de espaço amostral, e assim ele conseguia calcular a probabilidade em lançamentos de dados, moedas, etc. E usou-a a seu favor, ganhando dinheiro o suficiente para que ele pudesse pagar os estudos em medicina e matemática. Como ele mesmo escreveu na sua bibliografia: "...Fui forçado a apostar novamente nos dados para poder sustentar minha esposa; e com isso, meu conhecimento venceu o azar, e conseguimos comprar comida e viver, embora nossa situação fosse deplorável..."

Não se sabe bem o motivo, mas Cardano, apesar de ter publicado livros e teses nas áreas de medicina e matemática, nunca publicou suas descobertas sobre o ramo da probabilidade, no seu manuscrito intitulado "O livro dos jogos de Azar". Não se sabe se era porque ele não queria que ninguém mais tivesse a "sorte" que ele teve nos jogos, ou se havia um conflito interno, entre suas crenças religiosas e seu conhecimento sobre quantas vezes é possível acertar em uma jogada de dados ou lançamento de moedas. 

Um detalhe interessante que gostaria de salientar, é que o ramo da probabilidade é o ramo da matemática que mais se comete erros. É extremamente comum, ainda nos dias atuais, excelentes matemáticos cometerem os mais diversos erros sobre probabilidades matemáticas, quando aplicadas as atividades cotidianas e em teses acadêmicas.

Ainda hoje, os jogadores são os maiores detentores dos conceitos sobre probabilidade e esperança matemática. Faça uma pergunta envolvendo cálculos de probabilidades a um jogador de pôquer e a mesma um matemático, veja quem irá ter a resposta na ponta da língua. 

Agora vamos ao nosso matemático


Bibliografia 


Fonte: wikipédia
Pascal nasceu em junho de 1623 em Clermont-Ferrand, pouco mais de 400km ao sul de Paris. Reconhecendo as virtudes do filho, e tendo se mudado para Paris, o pai de Blaise o levou, aos 13 anos, a um grupo de discussão recém-fundado na cidade, chamado por seus integrantes de Académie Mersenne, em homenagem ao monge de túnicas negras que o fundara. Na sociedade de Mersenne estavam o filósofo-matemático René Descartes e o gênio matemático amador Pierre de Fermat. A estranha mistura de pensadores brilhantes e grandes egos, com a presença de Mersenne para mexer o caldeirão, deve ter influenciado fortemente o adolescente Pascal, que formou laços pessoais com Fermat e Descartes e ganhou bastante familiaridade com o novo método científico. “Que todos os discípulos de Aristóteles”, ele teria escrito, “reconheçam que o experimento é o verdadeiro mestre a ser seguido na física.”

O talento precoce para as ciências físicas levou a família a Paris, onde ele se consagrou ao estudo da matemática. Acompanhou o pai quando este foi transferido para Rouen e lá realizou as primeiras pesquisas no campo da Física. Suas experiências sobre sons resultaram em um pequeno tratado (1634). No ano seguinte chega à dedução de 32 proposições de geometria estabelecidas por Euclides. Publica Essay pour les coniques(1640), obra na qual está formulado o célebre teorema de Pascal.

Blaise Pascal contribuiu decisivamente para a criação de dois novos ramos da matemática: a Geometria Projetiva e a Teoria das probabilidades. Em Física, estudou a mecânica dos fluidos, e esclareceu os conceitos de pressão e vácuo, ampliando o trabalho de Evangelista Torricelli. É ainda o autor de uma das primeiras calculadoras mecânicas, a Pascaline, e de estudos sobre o método científico.

Como matemático, interessou-se pelo cálculo infinitesimal, pelas sequências, tendo enunciado o princípio da recorrência matemática. O cálculo diferencial e integral de Newton e Leibniz que seria a base da física clássica foi inspirado em um tratado publicado por Blaise Pascal sobre os senos num quadrante de um círculo onde buscou a integração da função seno, que também viria a ser a base da matemática moderna.[3] Criou um tipo de máquina de calcular que chamou de La pascaline (1642), uma das primeiras calculadoras mecânicas que se conhece, conservada no Museu de Artes e Ofícios de Paris.[4] Anders Hald escreveu: "Para aliviar o trabalho do seu pai como agente fiscal, Pascal inventou uma máquina de calcular para adição e subtração assegurando sua construção e venda." Seguindo o programa de Galileu e Torricelli, refutou o conceito de "horror ao vazio". Os seus resultados geraram numerosas controvérsias entre os aristotélicos tradicionais.[5]

De volta a Paris (1647), influenciado pelas experiências de Torricelli, enunciou os primeiros trabalhos sobre o vácuo e demonstrou as variações da pressão atmosférica. A partir de então, desenvolveu extensivas pesquisas utilizando sifões, seringas, foles e tubos de vários tamanhos e formas e com líquidos como águamercúrioóleovinho, ar, etc., no vácuo e sob pressão atmosférica.

O Legado ???


Em honra de suas contribuições científicas, o nome Pascal foi dado à unidade SI de pressão, a uma linguagem de programação, à lei de Pascal (um importante princípio da hidrostática), e o triângulo de Pascal e a aposta de Pascal ainda levam o seu nome.
O desenvolvimento de Pascal da teoria da probabilidade foi a sua contribuição mais influente para a matemática.[11]Originalmente aplicada ao jogo de azar, hoje é extremamente importante na economia, especialmente na ciência atuarial. John Ross escreveu: "A teoria das probabilidades e as descobertas após essa mudaram a nossa forma de encarar a incerteza, risco, tomada de decisão, e a capacidade de um indivíduo ou da sociedade de influenciar o curso dos eventos futuros."[12] No entanto, deve notar-se que Pascal e Fermat, embora fazendo um trabalho inicial importante na teoria das probabilidades, não desenvolveram o campo muito mais longe. Christiaan Huygens, aprendendo do tema a partir da correspondência de Pascal e Fermat, escreveu o primeiro livro sobre o assunto. Mais tarde, pessoas que continuaram o desenvolvimento da teoria incluem Abraham de Moivre e Pierre-Simon Laplace.

Na literatura, Pascal é considerado um dos autores mais importantes do período clássico francês e é lido hoje como um dos maiores mestres da prosa francesa. Seu uso da sátira e do humor influenciou polemistas posteriores. O conteúdo de sua obra literária é mais lembrado por sua forte oposição ao racionalismo de René Descartes e a afirmação simultânea que a principal filosofia de compensação, o empirismo, também era insuficiente para determinar verdades importantes.

Na França, prestigiosos prêmios anuais, cadeiras de pesquisa Blaise Pascal são dadas a prominentes cientistas internacionais para realizar a sua investigação na região de Ile de France.[13] Uma das universidades de Clermont-Ferrand, França - Universidade Blaise Pascal - é nomeada em sua homenagem.

O GRANDE LEGADO OCULTO


Depois de lermos o resumo da bibliografia de Pascal, boa parte dela pode ser encontrada na Wikipédia, eu gostaria que refletisse sobre algo em especial, espero que seja sincero em sua reflexão.

Vocês hão de concordar comigo, que Pascal foi um ser humano incrível, cujas as suas descobertas influenciam nossa sociedade até hoje, ou será que há alguém em sã consciência é capaz de argumentar contra esta afirmativa?

Os seus trabalhos e teses matemáticas estão aí, e são base de estudos para muita coisa, até em linguagem de programação de hoje, há homenagem para este incrível ser humano que viveu apenas até seus 39 anos. Eu tenho 31, e quem me dera ter produzido algo em torno de 1 milésimo de importância como Pascal produziu. 

Agora lhe pergunto, e você, quantos anos tem? Qual sua obra mais importante já realizada na sua vida? Ela se aproxima da mesma inovação, criação e influência das obras de Pascal?

Concordando com as afirmações acima, vamos para outras reflexões:

Por que algumas obras de Pascal são idolatradas e homenageadas por toda humanidade, enquanto outras são ridicularizadas e esquecidas? Essas pessoas possuem o mesmo brilho, inteligência e competência de Pascal, para ridicularizar suas obras? Sendo que o próprio Pascal, ao imergir em novas áreas de conhecimento escreveu:

"Mal consigo me lembrar de que existe algo como a geometria. Vejo-a como algo tão inútil... É bem possível que eu jamais pense nela novamente."

Em 1662, poucos dias após a morte Pascal, uma criada notou uma saliência curiosa num de seus casacos. Ela abriu o forro da vestimenta e encontrou, escondidas em seu interior, folhas dobradas de pergaminho de papel. Pascal aparentemente as carregava consigo diariamente, pelos últimos oito anos de sua vida....

O que será que havia nestes manuscritos de tão importante, para um ser humano como este os carregar consigo o tempo todo e para todos os lugares?

Será que um ser humano com a minha ou a sua capacidade mental caro leitor, seria capaz de contradizer o que um ser humano com sua capacidade intelectual, homenageada e idolatrada  por mais de 400 anos, com trabalhos científicos e acadêmicos que são usados até os dias de hoje, poderia eu ou você, argumentar e contradizer tal ser humano? Poderia eu ou você ser mais inteligente que Pascal?

Por que, o que Pascal considera de maior importância para sua vida e obra, não é discutida, falada e apresentada para a humanidade? Por que apenas algumas obras, que o próprio autor considera inútil comparada a sua última e mais importante obra, são homenageadas e idolatradas? 

Seria como dizer que Steve Jobs, Bill Gates, Stephen Hawking, Elon Musk, se tornassem mais burros que um asno, da noite pro dia.

E você caro leitor, já ouviu ou leu os fragmentos não destruídos das últimas obras de Pascal?




www.arquivos-virtuais.blogpost.com







Um comentário: